Resenha: O que há de estranho em mim

21 março

Movida pela curiosidade de conhecer algum livro da autora Gayle Forman comecei a ler “O que há de estranho em mim”. Já havia ouvido falar muito bem sobre o trabalho da autora e já conhecia o filme inspirado em uma de suas obras, porém ainda não tinha lido nenhum livro dela. A leitura foi bem tranquila e bem rápida, com uma escrita clara, traz a temática adolescente, fala sobre rebeldia, sonhos, terapia para adolescentes, o fato de muitas vezes não serem ouvidos e sobre acreditar em si mesmo.
Brit tem dezesseis anos e assim como a maioria dos adolescentes vive conflitos tanto com a sua família quanto consigo mesma. Após o casamento do seu pai com a segunda esposa, Brit ganho uma madrasta e um irmãozinho, porém o relacionamento com a madrasta não é bom, por isso ela evita de ficar muito tempo em casa, ela prefere ficar ensaiando com a sua banda. O seu sonho é ser uma estrela do rock, mas vê seu sonho interrompido após ser mandada pelo pai para o internato Red Rock. Ele leva-a para o internato sem o seu consentimento dizendo que irão fazer uma viagem em família para o Grand Canyon. Lá Brit se depara com métodos de terapia questionáveis que fazem mais mal do que bem, como consequência ela se fecha ainda mais e não permite a aproximação dos conselheiros. É em beira ao colapso que ela encontra V, Bebe, Martha e Cassie e logo desenvolvem uma amizade verdadeira, que as salvam da depressão do lugar. Elas buscam maneiras de mostrar aos pais que por mais que as intenções deles sejam boas o internato não é a solução para os problemas que estão enfrentando.
A autora durante um trabalho para a revista Seventeen escreveu uma matéria sobre os reformatórios comportamentais, entrevistou muitos adolescentes que passaram por tais instituições e os pais. Esse trabalho inspirou Gayle a escrever essa obra de ficção, onde ela ligou vários aspectos desses reformatórios e criou o Red Rock. Esse livro nos levanta o questionamento sobre o relacionamento de pais e filhos adolescentes e os problemas recorrentes nessa fase. É fato que muitos adolescentes se envolvem com drogas, álcool, são violentos, entre tantos outros problemas, mas qual o melhor caminho a seguir?
Muitos adolescentes nessa fase precisam de ajuda profissional, precisam de pessoas que os compreenda, ofereçam assistência e carinho. Precisam de ajuda profissional qualificada, que irá conduzir sessões de terapias que apresentaram resultados. Os pais acreditam fielmente que estão fazendo o melhor para os filhos enviando-os para os reformatórios, mas acabam percebendo por relatos dos próprios filhos, notícias de jornais ou até mesmo quando as instituições são investigadas pela polícia que não é o melhor caminho a se tomar.
No caso dos livro são apresentado jovens que simplesmente não são compreendidas e não precisam de fato está em um internato, geralmente elas passaram por situações traumáticas que devem ser resolvidas com o dialogo aberto, com carinho e amor. Para se libertarem dessa situação elas precisam provar para os pais que os métodos utilizados não provocam bons resultados, as condições em que são mantidas não são adequadas e as terapias aplicadas são ultrapassados e só pioram a situação.

Enfim, esse é um livro que aborda temas não tão habituais e a forma como as pessoas precisam se adequar a padrões para serem bem vistas pela sociedade. Apesar de ser voltado para adolescentes acredito que todos deveriam ler. Muitas vezes a solução para os problemas enfrentados é mais simples do que se imagina, não estou dizendo que não existem problemas graves nessa fase, pelo contrário, a questão é saber identificá-los e descobrir juntos, pais e filhos, qual a melhor opção e o melhor tratamento, afinal cada caso é um caso. Concluindo foi uma leitura válida, agradável e me prendeu bastante.

Você pode gostar

15 comentários

  1. Tenho um livro dela, pela temática, pelo que entendi, seria um livro pesado, só que parece que não é.
    Vou por na minha listinha de desejados para quando sobrar um troco comprar.

    Beijo

    www.modaeeu.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A leitura é bem leve mesmo, a forma como o tema é abordado não deixa o livro cansativo. É uma leitura válida!
      Beijos

      Excluir
  2. Oi Anna.

    Eu ainda não li este livro mas tenho muita vontade. Até o momento li apenas Se eu ficar, mas tenho Para onde ela foi. Achei interessante ter lido na sua resenha que a personagem vai para um internato, eu li dois livros com as personagens indo para o mesmo lugar e foi uma boa leitura. Espero que este livro também seja agradavel.

    Bjos

    http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi o meu primeiro contato com a autora, não sei opinar em relação aos outros livros, mas é uma leitura interessante, muito boa para quando se quer sair de uma ressaca literária. Acredito que você vá gostar!
      Beijos

      Excluir
  3. Gente do céu eu preciso desse livro pra ontem, parece incrível a história neh e pelo que você disse ele nos passa grandes aprendizados, adorei a resenha flor.

    Davidson,
    http://www.meninoliterario.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que vá gostar da leitura. Depois que ler compartilha a sua opinião conosco!
      Abraços

      Excluir
  4. Tem gente que não me encoraja a ler o livro, diz não ter gostado, mas eu fico bem curioso com a história e pela abordagem do tema. Acho que a experiência que o leitor vai ter com livro, deve ser único e o aprendizado também. Enfim, gostei bastante da resenha e já está decido que eu vou ler.
    https://nerdbookblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi, eu li dois livros dessa autora o Se Eu Ficar e Para Onde Ela Foi e gostei bastante da escrita da autora e modo como ela nos atinge com sua escrita sensivel e fluida. Não conhecia esse mais parece ser mais um ótimo livro para se ler e com certeza lerei, pois já adoro a autora e acho que você vai gostar bastante desses dois livros que falei.
    bjus
    http://recantoliterarioeversos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Que interessante a história desse livro. Já tinha visto ele por ai, mas nunca tinha lido sobre o que se tratava. A história parece ser bem "forte" :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Anna!
    Desisti de ler qualquer coisa da Gayle depois da minha experiência nada bacana com Se Eu Ficar e Para Onde Ela Foi. Os dois livros foram, de certa forma, decepcionantes e acabei criando um certo receio de dar continuidade aos livros dela.
    Vi que muita gente amou esse livro e sei que ele aborda assuntos bem delicados. É o tipo de livro que eu me jogaria na leitura sem nem pensar. Mas por conta da autora fico meio pé atrás de me decepcionar novamente. Quem sabe um dia não dê uma chance?
    Que bom que gostou da leitura!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi.

    Tudo bom?
    Nunca li nada da autora, mas achei a temática desse livro bem diferente, pois acho esse lance de reformatório algo bem drástico e fiquei aqui pensando o motivo real do pai dela ter feito isso.
    Gostei da sua resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. O primeiro livro que li da autora foi "Eu Estive aqui" e é ótimo! Comecei a ler esse mas parei antes de chegar na metade porque nunca li livros nesse estilo, mas confesso que sua resenha me deu muita vontade de continuar; por falar nisso, você escreveu muito bem (:
    Beijos :*
    http://memorialices.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
  10. Não li nada da autora e confesso que os livros não me chama atenção, pode ser que eu leia algum dia, mas agora no momento não.
    PS: Sua resenha esta otima viu!!
    http://marifriend.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bom?
    Adorei a sua resenha! Você abordou um livro por um lado diferente do que eu tenho visto até agora. Eu tenho meus motivos para não querer lê-lo porém, achei muito válido tudo o que você disse. Deve ser muito ruim você ser um adolescente, estr confuso e revoltado coma vida e ser jogado num lugar horrivel desses. Acho que essa não e´a solução nunca e acho legal a autora abordar esse tema.
    beijos

    ResponderExcluir
  12. Oii!
    Apesar de achar o tema muito importante, e adorar a escrita da autora, não achei o livro tão dramático. É claro que é horrível tudo o que é contado e que existe nessas escolas, mas senti falta de algo na leitura, sabe? Li Eu estive aqui, foi meu primeiro contato com a Gayle, e achei bem dramático e sensível como ela contou a história, então acho que eu só esperava algo parecido, sabe?
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir

Facebook

Instagram