Resenha: Simplesmente Acontece

04 abril

O livro Simplesmente Acontece (Love, Rosie) foi o meu primeiro contato com a autora Cecelia Ahern, apesar de conhecer os filmes baseados em sua obra ainda não havia lido nada da autora. Nesse caso assisti o filme homônimo antes de ler a obra e como gostei do filme decidi ler o livro. Comprei o livro a mais ou menos seis meses atrás e até então estava na minha estante aguardando o momento certo para ser lido, eu tinha a intenção de esquecer um pouco do filme, o que não deu muito certo. Por ter visto o filme eu tive alguns spoilers, coisas que aconteceram no início do filme são reveladas somente no final, mas de fato não atrapalhou minha leitura.
A escrita do livro é bem diferente do que estou acostumada, a história nos é apresentada em forma de cartas, e-mails, bilhetes, conversas instantâneas, cartões, etc. colecionados ao longo de uma vida. Inicialmente, achei que não ia gostar dessa forma de escrita, mas me surpreendi, a leitura foi bem fluída e apesar de não acompanhar os personagens em todo o desenvolvimento da história é possível compreender perfeitamente o turbilhão de sentimentos que eles sentem. Rosie e Alex são os protagonistas, eles são amigos inseparáveis desde a infância e são perfeitos um para o outro, porém vivem uma série de desencontros e acabam não falando o que de fato sentem um pelo outro.
Rosie tinha acabado de concluir o ensino médio e já tinha um plano traçado, iria morar em Boston para fazer a faculdade e ficar perto do seu melhor amigo que havia mudado um ano antes para a cidade. No baile de formatura ela acaba engravidando por um deslize e ver seus planos mudados da noite para o dia. E os desencontros não param por aí, o casal tem tudo para ficar junto, mas não conseguem ter uma sincronia, parece que tudo conspira contra os dois.
Os dois tem alguns desentendimentos ao longo do livro, mas a amizade é sempre mais forte e eles sempre se perdoam. Mesmo a distância sempre participam da vida um do outro, acompanham o crescimento dos respectivos filhos e dos relacionamentos que eles vivem e nos momentos difíceis sempre buscam apoio um no outro. Acredito que seja esse fator que deixa a história emocionante, eles nunca de fato deixaram de se amar, mesmo com tudo que acontecia eles tinham um ao outro.
A forma que a narrativa é enlaçada nos prende, faz vibrar, ter raiva dos personagens e torcer para que fiquem juntos. Não é uma história de amor impossível, eles precisam se jogar, se arriscar, mas parece que nunca é o momento certo e que o destino está sempre brincando com eles. É perfeitamente possível acontecer na vida real, fora dos livros. Tem muito drama envolvido, tem momentos engraçados e momentos românticos.
Porque deixamos de acreditar em nós mesmos? Porque permitimos que os acontecimentos ou os números ou qualquer outra coisa além dos nossos sonhos governem a nossa vida?

Impossível não fazer uma breve comparação livro x filme, até porque as edições disponíveis no Brasil são com a capa do filme. No livro temos acessos a alguns detalhes que não são disponibilizados no filme, algumas alterações foram feitas, mas acabou tendo efeito similar. A essência da história continua firme no filme apesar dos finais serem um pouco diferentes. Se você já viu o filme e gostou, vale a pena ler o livro para complementar algumas lacunas. Se você ainda não assistiu, mas gosta de dramas com uma leve pitada de comédia, recomendo a leitura para em seguida ver o filme. Enfim, recomendo esse livro para pessoas que tenham paciência e gostem de romance, foi uma boa leitura.

Você pode gostar

0 comentários

Facebook

Instagram