Resenha: Caixa de Pássaros

19 maio

Quando ouvi pela primeira vez sobre o livro Caixa de Pássaros ele já me despertou a atenção e assim que tive a oportunidade eu o comprei. O livro é classificado como thriller psicológico, mas o que isso significa? Os livros com essa classificação geralmente possuem como elementos principais da trama o suspense, a tensão e a excitação. E de fato esses são os principais elementos de Caixa de Pássaros. Em seu primeiro livro Josh Malerman nos deixa sem fôlego, extremamente tensos, curiosos e com medo do que virá a seguir. É impossível parar de ler e quando chegamos ao final ficamos desejando ter mais algumas páginas.
O livro é narrado em terceira pessoa, sendo o narrador onisciente. Malorie é a protagonista e junto com os seus dois filhos em um mundo pós-apocalíptico tenta se manter sã tanto fisicamente quanto psicologicamente. Os personagens do livro não sabem ao certo quem os ameaçam, somente que não podem abrir os olhos em lugares que não estejam devidamente protegidos (janelas tampadas com cobertores ou madeiras), tanto quanto casas ou lugares externos. Tudo indica que quem ver essas “criaturas” perde a sanidade mental, cometendo atrocidades e por fim, suicidando.
Os capítulos do livro se alternam entre o passado e o presente, explicando como a situação começou e o que levou a Malorie do presente a fugir de onde estava. Quatro anos se passaram desde que tudo começou, Malorie morava com a sua irmã Shanon, quando escutaram os primeiros relatos que pessoas estavam agindo de forma agressiva e em seguida cometiam suicídio, simplesmente por terem visto algo ou alguma coisa. A princípio Malorie não se preocupou com tais notícias, pois acabara de descobrir que estava grávida, porém sua irmã era crédula desde o primeiro momento e logo começou a tomar providencias para proteger a casa em que moravam. Apesar de Shanon ter acreditado desde o princípio ela acaba sendo afetada, o que a leva a sua morte.
Malorie depois da morte da sua irmã decide responder a um chamado no jornal, de pessoas que procuravam outros sobreviventes, ela dirige até o endereço indicado, tampando os olhos eventualmente. É nessa casa que ela passa os próximos anos e lá ela encontra Jules, Don, Tom, Cheryl, Felix e Victor (o cachorro), cada um carrega o peso das perdas e ainda o medo das coisas/criaturas que os assombram.
Ao longo do livro nos deparamos com vários sentimentos que nos levam a questionar: Será que vale a pena sobreviver nesse novo mundo? É possível manter a sanidade mental em meio a todos os acontecimentos? Em quem se pode confiar? O que são essas criaturas/coisas que causam tantos problemas? Existem pessoas que não são afetadas? Quem é louco pode ficar mais louco ainda?
Esse é um daqueles livros que quando encerramos a leitura ele ainda fica martelando na nossa cabeça, principalmente por deixar algumas lacunas em aberto. Sim, quando terminamos a última página ficamos esperando que venham mais algumas a seguir, mas o autor deixou que a imaginação de cada um fluísse em busca de algumas respostas. A princípio fiquei chateada, mas depois percebi que a obra em um todo cumpriu bem o objetivo de um thriller psicológico, o que para mim compensou a ausência de algumas explicações.

A escrita do livro é simples, fácil de entender e bem fluída. Quando percebemos não conseguimos mais parar a leitura. No livro é possível encontrar os principais elementos que são propostos pelo gênero, temos cenas de perseguição, uma protagonista que apesar de saber que existe uma ameaça, não sabe ao certo o que a ameaça e uma fuga que parece ser impossível de ser realizada. Sofremos e compartilhamos o medo junto com a Malorie, conhecemos sua história e suas motivações. Torcemos para que ela sobreviva e que se mantenha sã. Enfim, vivemos um misto de emoções ao longo do livro. Recomendo esse livro para todos que gostam do gênero, vale a pena lê-lo. 
Skoob : 4,2

Você pode gostar

17 comentários

  1. Olá! A capa desse livro sempre me instigou, mas lendo sua resenha, percebi porque você (e várias pessoas que conheço) deram nota máxima nessa leitura! Perdi a respiração só em saber que os personagens do livro só podem abrir os olhos em algumas situações onde estejam protegidos. Que bom que o livro traz reflexões e questionamentos sobre a vida, adoro livros assim! Se a escrita é simples e fluida, melhor ainda! Parece uma história cheia de ação e de momentos de calmaria, isso também mexe com o psicológico. Vou passar na frente na lista de leitura.
    Beijos!

    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karla, adorei ler esse livro, achei que valeu a pena! Espero que faça boa leitura! Beijos

      Excluir
  2. Lembro que quando comecei a ler esse livro não conseguia parar mais, terminei as 2h da manhã, com os olhos doendo e cansados e sentindo a sensação de claustrofobia que imagino que a protagonista sentia ficando com os olhos fechados todo o tempo.
    Acho esse livro incrível!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também fiquei super ansiosa quando estava realizando a leitura, até mesmo senti medo pela protagonista. Imagino o quão perturbador é vive em um mundo em que não se pode abrir os olhos... super tenso!

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Oiee ^^
    Eu também fiquei um pouco chateada quando finalizei o livro e vi que não haveria continuação. Mas gostei de o autor ter deixado o final em aberto assim, deixando a gente imaginar o que poderia acontecer com os personagens. Achei o livro macabro...haha' gostei bastante dele, mas fiquei com um pouco de medo também *-*
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o final em aberto contribuiu para que continuássemos tensos e com medo pela Malorie, ao final achei o livro sensacional, representou bem o gênero!
      Beijos

      Excluir
  5. Oi, estou louca para ler esse livro há tempos e só vejo coisas positivas sobre ele, mesmo não tendo uma continuação para explicar algumas questões, mesmo assim ainda quero lê-lo e adorei o modo como resenhou o livro, só instigou mais a minha curiosidade.
    bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thatyane,
      Espero que faça uma boa leitura, acho que o livro ficou bem legal!
      Beijos

      Excluir
  6. Oi Anna!
    Morro de curiosidade de ler Caixa de Pássaros desde que foi lançado. Vi mutas opiniões divergentes a respeito do livro e, quem não gostou, foi justamente por causa do final "em aberto". Confesso que não sou a maior fã de finais desse tipo, mas a curiosidade e os elogios à escrita do autor fazem com que minha vontade de ler só aumente. Espero gostar bastante.
    Beijos
    Coisas de Meninas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Neyla,
      Também não sou a favor de finais em aberto ou com pontas soltas, mas no caso desse não me incomodou tanto porque o objetivo principal dele foi bem satisfatório. Espero que faça uma boa leitura!
      Beijos

      Excluir
  7. Eu com certeza adoro o gênero e nem sei porque ainda não li o livro, quer dizer, sei sim, estou meio sem $$ para comprar livros, hiuahiua. Mas sempre tem os e-books não é mesmo?! Eu quero ler este livro desde que ele lançou e começaram as opiniões favoráveis. Obrigada por mais este impulso!!!

    Beijo, Van - Retrô Books
    http://balaiodelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vanessa, espero que faça uma boa leitura! Beijos

      Excluir
  8. Embora eu não goste de finais com coisas em aberto, no caso desse livro isso não me incomodou. Acho que ele cumpriu mesmo bem seu papel, e acredito que foi bom que alguns mistérios tenham sido mantidos. No início achei que seria legal ter uma sequência, mas depois me convenci de que é melhor ficar desse jeito mesmo. Não é um gênero que leio habitualmente, mas adorei o livro, embora ele tenha embrulhado meu estômago em alguns trechos.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju, concordo totalmente com você! Também achei que seria interessante ter uma continuação, mas logo tirei de mente, acho que quebraria a magia do livro.
      Beijos

      Excluir
  9. Finalmente uma resenha que realmente me fez cobiçar esse livro (rs). Eu gosto muito de enredos assim, que foram escritos (aparentemente) para nos incomodar (rs). O gênero thriller psicológico me encanta por essa razão. Embora o final aberto possa desencantar quem realmente desejasse saber exatamente o que aconteceria, sempre fico com aquele sentimento de inacabado e isso me faz dar mas valor ao enredo lido. Eu fico me perguntando como reagiria numa realidade assim, com medo de abrir os olhos num lugar que pudesse roubar a minha sanidade.

    Beijos!
    www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Francine, esse livro tem o poder de nos fazer sentir exatamente todos os medos dos personagens, as ânsias e a vontade de sobreviver. Achei que realmente foi uma leitura extremamente satisfatória e que me agradou bastante! Espero que faça uma boa leitura! Beijos

      Excluir

Facebook

Instagram